quinta-feira, 4 de julho de 2013

PESSOAS TÓXICAS - CUIDADO!



Muitos dos problemas de autoestima que afetam milhares de jovens e adultos nada têm a ver com doenças de carater emocional ou psicológico, (embora possam vir a se tornar um problema desse genero), mas a sua genese está nas pessoas tóxicas que permitem que interfiram e permaneçam na sua vida. Estas pessoas têm a capacidade de despertar o pior que há em nós e até de nos fazer acreditar que somos frageis, instáveis, incapazes de tomar decisões sem o seu parecer, incapazes de nos relacionar com o próximo e de sermos independentes.

Por norma, as pessoas tóxicas procuram controlar os outros através do abuso emocional. Levam os que lhes são próximos- através das críticas constantes- a crer que algo terrível lhes acontecerá se algum dia se desprenderem deles. Incapazes de fazer um elogio, dão ares de conhecer grandes segredos a respeito das outras pessoas, de saber coisas que mais ninguém sabe, tudo para os certificar que a terra para de girar se eles assim o desejarem.

Muitas pessoas adultas e talentosas vêm os seus casamentos fracassarem por causa de pais tóxicos. Muitos jovens já cometeram suicídio por causa de pais, irmãos, amizades e relacionamentos amorosos altamente tóxicos.

Conhece alguém que o tira do sério? Logo você que é bem visto no seu emprego, que é um bom cidadão, que é querido pelos amigos, alguém a quem atribuem qualidades pessoais e profissionais com alguma facilidade, mas que quando a pessoa tóxica chega perto , não só o leva a desencadear um ataque de fúria como ainda consegue sair da situação como vítima?
 Conhece alguém que não poupa de o envergonhar em público, de expor a sua intimidade, os seus segredos, as suas dificuldades, as suas trapalhadas de infância, nos momentos mais inapropriados só com a intenção de o envergonhar? E o pior é que as coisas são feitas de tal maneira que se você tentar refutar os argumentos da pessoa, seja com um sorriso forçado, seja com indignação evidente, acaba sempre por ficar mal visto.

Só há uma saída, por vezes dolorosa, sobretudo se estamos falando dos nossos próprios pais, irmãos, tios, parceiro sentimental, etc. Só há uma saída: afaste-se. Se o laço familiar não permitir um corte 100%, fale e conviva apenas o necessário e não fique com remorsos, porque, repare: se insistir num relacionamento tóxico, a loucura do outro vai acabar por enlouquecê-lo. 

Mais vale estar só e saudável do que doente ao lado de alguém. Não precisamos de mais mentes distorcidas na sociedade, nem de gente viciada em dramas. Precisamos é de sanidade mental e de pessoas capazes de conviver com o sucesso alheio, desprendidas de inveja, de competição e de outros sentimentos destrutivos.

[Texto adaptado da Web]

24 comentários:

  1. Parabéns Aglair,por dedicar uns minutos de seu tempo a ajudar o próximo.
    Bom dia!

    Ana.

    ResponderExcluir
  2. Nossa, lendo este texto parece que ele foi feito para mim, é exatamente oque vivo com meu ex marido todos os dias,ele esta destruindo o psicológico do meu filho, o menino não consegue se expressar perto do pai, nem dizer não, e agora que entrou na adolescência esta começando a se revoltar, e ficar agressivo.
    O pai só cobra, cobra, e exige, não diz uma palavra de incentivo. Vivo um pesadelo, pois não sei pra onde correr e como de livrar desta situação terrível.

    ResponderExcluir
  3. Também foi escrito pra mim...

    ResponderExcluir
  4. Se somos adultos, fica menos difícil nos livrarmos das tais "pessoas tóxicas",embora no começo,possa ser ruim.
    É preciso excluí-las do que fazemos de importante,e fingir que as "esquecemos",sempre quando se tratar de convites,ou de contar novidades.
    Se não podemos evitar estar presentes num evento onde elas irão liderar,e onde sabemos que vamos ser humilhados,o jeito é deixar a cena para elas, uma vez que depois as impediremos de estar em outras circunstâncias da nossa vida.
    Às vezes,esses cidadãos,percebendo nossa reação,começam a maneirar as atitudes...mas há os casos "sem solução mesmo" e contra os quais, só o radicalismo funciona.

    Aí,uma avaliação do valor das relações poderá nos levar ao corte parcial em tais contatos- os quais são sempre mantidos em nome de tradições,que nem sempre contemplam as necessidades reais de cada um.
    As amizades precisam estar baseadas no respeito mútuo- pois essa é uma premissa para que a própria sociedade exista,e consiga amparar a muitos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo amiga. Muito obrigada pelo seu depomento que interiorizo. Adorei. Vou levar mais uma vez, duas ou tres e fica aqui nos meus favoritos. Bem haja!

      Excluir
  5. Adorei acho que conheço gente assim,conviver e não se deixar contaminar é um pouco dificil mas vamos evitando aos poucos e convivendo...

    ResponderExcluir
  6. graças a Deus consegui sair dessa vida tirei um peso das costas

    ResponderExcluir
  7. Gostaria de saber, como passar essas informações para essas pessoas, tenho muitas delas ao meu lado e não posso me afastar delas, mas sou vacinado contra hipocrisia, e tenho colocado conceitos em suas mentes e percebo que ajudam, mas são viciadas, e não conseguem mudar sua maneira, porque elas vivem esse drama dentro e fora de suas vidas. Como chegar até elas? Como ajuda-las? Não posso abandona-las?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro Marquito, é bem difícil conscientizar outras pessoas de algo que elas não querem saber.Ninguém muda o outro, a não ser que o outro queira mudar. Melhor é pensar na própria mudança com relação a elas, porque quando a gente muda, tudo em volta muda. abraço

      Excluir
  8. Nossa, acho que estou tóxica... preciso rever meus conceitos.

    ResponderExcluir
  9. estou vivendo isso no momento ,espero muito em breve solucionar este caso,porque concordo e aprovo esta visão de não sermos contaminados !! as vezes se torna muito necessário,obrigado!!

    ResponderExcluir
  10. isto me fez refletir alguns conceitos no geral ,e no momento vou ter uma decisão de por isto em prática sim ,obrigado !!

    ResponderExcluir
  11. Esse texto parece ter sido escrito para mim também... Eu vivo com pessoas tóxicas e sei bem como é doloroso. Ainda mais que, por serem quem são, não dá pra excluí-las... Às vezes sinto raiva delas, me dá vontade de sumir no mundo! Sei que as crises qe já tive de depressão (inclusive a que vivo hoje), tem relação com essa situação. E, como disse uma colega aqui, conviver e não se deixar contaminar é um pouco difícil. Enfim, sei que preciso dar um basta nisso tudo, mas não tenho forças... E com isso vou levando essa minha vidinha medíocre, que me tortura dia a dia...

    ResponderExcluir
  12. Achei maravilhoso seu texto, pois quanto tempo é preciso para descobrirmos o quanto de gente tem ao nosso lado assim? Ainda mais se tratando de pessoas de nosso nicho familiar, mas estou conseguindo tirar de letra estes tipos de relacionamentos e espero que todos o assim consigam.

    ResponderExcluir
  13. Entendo perfeitamente a gravidade dessa situação, especialmente quando ocorrida com crianças e adolescentes. Mas penso ser imprescindível a autocrítica, encarar a real possibilidade do "tóxico" (já que querem chamar alguém dessa forma) ser você. Existem muitos adultos que se absorvem de negatividade e pessimismo, que estão sempre se vitimizando e colocando a culpa de seus problemas e fragilidades em terceiros. Sim, fragilidades, pessoais e completamente oriundas de si mesmo. Pessoas assim estão sempre prontas para um confronto ou um drama, no mínimo sinal de interferência de um terceiro elas se armam, estão na defensiva para se colocar na posição de atacado, por mais boba e despretensiosa que essa interferência possa ser. Sua maior característica é se lamentar, contabilizar seus problemas e assim ser consolado por seus amigos próximos, mas inclusive esses amigos/familiares sabem bem dessa tendência a vitimização, e exatamente por isso não contrariam, não criticam, não palpitam, mesmo quando necessário. Pessoas assim são rancorosas, vingativas e sempre, sempre mesmo, encontrarão alguém para culpar por suas paranóias. Hoje se afastarão de um, mas na próxima semana, não mais que de repente, perceberão que outra pessoa considerada por ela "tóxica" cruzou o seu caminho.

    Digo isso pois conheço pessoas assim, e penso que nem toda insegurança e fragilidade emocional sejam algo alimentado por terceiros. Aliás, penso que quanto menos você encontrar culpa por seus defeitos em outros, mais maturidade e boa índole você possui, afinal é muito fácil nunca se encarar como sua própria toxina.

    ResponderExcluir
  14. Realmente difícil lidar com esta situação, principalmente quando a pessoa "tóxica" é sua mãe!!! Afastamento parcial é possível, mas total não. Ainda mais quando ela está ficando idosa e dependente de vc!!! Gostaria que houvesse uma "fórmula mágica" para resolver este problema!

    ResponderExcluir
  15. esse assunto é mto sério.....convivo com uma família cujo pai determina cada passo, só sabe criticar, não deixa nguém decidir por si. Os filhos têm que escolher a profissão que ele quer, tem que namorar quem ele quer, etc. A menina é quem mais sofre. Vai transar qdo o pai permitir. Absurdo, doença....inacreditável.

    ResponderExcluir
  16. PENSO QUE SÓ SENDO RADICAL PARA SE LIVRAR, O MAL SE CORTA PELA RAIZ.

    ResponderExcluir
  17. Incrível artigo! História da minha vida! Depois de tanto sofrimento, finalmente consegui me afastar. A vida tem oura cor longe de pessoas toxicas.

    ResponderExcluir
  18. Parabéns!Sou sua fã...abç!

    ResponderExcluir
  19. ótima a matéria,realmente so cortando a mal pela raiz,para se ter paz.realmente a vida longe dessas pessoas toxicas tem outra cor.

    ResponderExcluir
  20. Eu tive a coragem de romper com muitas pessoas tóxicas. Ao me assumir e me aceitar sozinho me senti liberto. Hoje estou refazendo o círculo social com mais cuidado e qualidade. Foi uma vitória.

    ResponderExcluir