sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Ciência comprova teoria de Freud sobre os sonhos



Há mais de 100 anos, Sigmund Freud revolucionou o mundo da Psicologia Embora suas ideias fossem estranhas para a época, elas mudaram para sempre a forma como os seres humanos estudam a mente. Uma de suas teorias mais famosas é a ligação do homem com o sonho.

Hoje, os cientistas estudam as ideias explicadas por Freud. Em seu livro “A Interpretação dos Sonhos”, ele afirma que o sonho nada mais é do que o reflexo dos nossos desejos diários. Segundo o autor, alguns deles muito inocentes, mas outros inaceitáveis pela consciência humana, tais como agressão sexual ou incesto.
  
A pesquisa

Em recente publicação, Dr. Josie Malinkowski, psicólogo da Universidade de East London, afirmou que diversas experiências comprovam uma das afirmações de Sigmund Freud: nós sonhamos coisas que tentamos ignorar quando estamos acordados.

Em teste diversos voluntários foram convidados a pensar em alguém que eles conhecessem e a escrever um pequeno texto sobre qualquer assunto que visse à mente antes de deitarem. Os participantes foram divididos em três grupos: o primeiro, que não pensou na pessoa durante a escrita; o segundo, que foi forçado a não pensar na pessoa escolhida e o terceiro, que pensou no que quisesse.

Os resultados foram conclusivos: o grupo que foi forçado a reprimir a memória apresentou mais sonhos com a pessoa do que os grupos que puderam pensar livremente. Este comportamento chamado de “efeito rebote dos sonhos” confirma a ideia de Freud de que o ser humano sonha exatamente com o que tenta reprimir. 

Com base nesse experimento, é possível analisar ainda mais o “efeito rebote dos sonhos”. Outros estudos mostraram que quanto mais nós suprimimos nossos pensamentos, mais sonhamos com eles. Além disso, essa tendência de manter certos pensamentos desagradáveis debaixo do tapete poderia aumentar os níveis de stress, ansiedade e depressão.

Fonte: Web

Nenhum comentário:

Postar um comentário