quarta-feira, 22 de agosto de 2012

O casamento como ele é...


C.A - Vou tentar contar meu problema. Sou casada ha 4 anos, não temos filhos, apesar dele querer muito, não me sinto preparada por causa das nossas brigas Amo meu marido e sei que ele me ama, mas nos ultimos 8 meses + ou - está impossivel ficar junto.Tudo é motivo para brigas e discussões que nao tem fim .Choramos juntos na ultima briga nessa semana, porque percebemos que não estamos mais nos controlando, a ponto de perder o respeito com o outro.Ele chegou a me agredir , como sempre faz quando fica irritado, mas desta vez não foi só com palavras pesadas. Estou com medo, perdida, nao sei o que fazer, e vejo que ele está na mesma situação. Ando muito ciumenta, jogando na cara dele que ele tem outra, uma paranoia.Já falamos varias vezes em acabar tudo, arrumamos malas, essas coisas.Mas, no fundo, não é isso que eu quero, ele é uma boa pessoa e eu amo. O que fazer ?


Resposta :

Na maioria das vezes os casais brigam por motivos 'bobos'. Constroem  um modo errado e viciado de olhar para a relação: enxergar e apontar as diferenças, em vez de focar nas semelhanças entre ambos. Essa visão distorcida é contagiante, e se torna uma bola de neve, um jogo de poder perigoso. Só ganha no amor quem não faz questão de ganhar.
Fico preocupada com o estágio da situação, pois a agressão - verbal, psicológica ou física-  é um sinal vermelho e não tem como ignora-lo.Você está certa em adiar o projeto do filho, pois antes dele o casal deve estar alinhado. Se existe amor das duas partes, e, mais importante do que o amor, se existe a vontade firme de ficar juntos, nada está perdido.

Na lista dos primeiros socorros, conversar sobre a situação é um bom começo. Conversar de modo verdadeiro, de coração aberto, implica em escutar de verdade o que o outro quer dizer. Escutar é uma forma de estar atento ao que a pessoa nos diz, mas mais do que isso, é perceber o que o outro nos quer comunicar. Não quer dizer reclamar, xingar, acusar, ofender ou se defender . 

Alguns casais têm medo de "discutir a relação" porque não sabem dialogar, ouvir o outro, considerar as razões do outro. As péssimas experiencias anteriores mostraram que as conversas se transformam sempre em bate-boca, onde cada um ataca e se defende. Mas quem não discute a relação não terá relação. Caso a comunicação esteja viciada neste padrão ou caso não haja mais comunicação, convém recorrer a uma terapia de casal para "aprender a conversar", para descobrir onde, quando e por que se perderam um do outro. Sempre vale a pena investir no resgate do relacionamento.

Casamento é para quem tem maturidade e coragem suficientes para não abandonar o barco aos primeiros sinais de naufrágio.  Só amor não basta. Abraço
Aglair Grein- Psicanalista

8 comentários:

  1. Querida Aglair, o que mais faço é conversar com meu marido, nos primeiros dias ficamos bem, mas com o tempo percebo que nada muda.. Logo, chegue a conclusão que apenas conversar não muda nada. . .

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara Anônima, quando conversar não mais resolve, quando os pares já não falam a mesma língua, quando a dinâmica de uma relação está obstruída, a saída é uma terapia de casal. Lá, as questões são colocadas às claras, cada um expõe suas dificuldades e seus anseios,com a orientação do terapeuta. Abraço

      Excluir
  2. gostaria de dar alguns conselhos, pois depois de 32 anos, acho que posso: Em primeiro lugar voce deve combater seus próprios erros, ou seja, não tente mudar o outro e sim mudar voce mesmo, elegendo pelos menos uns 03 defeitos seus, que vc tem consciência que existe; em segundo lugar, não deposite no outro a sua felicidade e sim em voce mesma, não espere receber aquilo que o outro não tem para dar ou ainda não aprendeu a dar, é melhor dar do que recebe e em terceiro lugar, "é melhor ser feliz do que ter razão" eleja esse ditado como objetivo maior e verá que não vale a pena querer comandar o outro ou demostrar que sabe maios do que o outro. Isto é um grande fator de briguinhas corriqueiras no dia a dia que acabam tomando volumes insustentáveis. ( a história de fechar a tampa da pasta de dente) e principalmente, evite fazer coisas que o outro já demostrou que não o(a) agrada e boa sorte a todos. É muito bom amar a esposa, e amor se constrói pois ele não acontece numa semana e sim ao longo dos anos e procure valorizar as qualidades e não os defeitos, porque todos nós temos e se resolver romper e acabar com tudo, verá que com o próximo será igualzinho, então a questão está dentro de nós e não no outro. abs

    ResponderExcluir
  3. Concordo Luiz com tuas colocações......... muito bom quando dizes que o outro não é responsável pela nossa felicidade, somos nós e temos que aprender a ceder e não só exigir.

    ResponderExcluir
  4. Sou casada ha 3 anos, faz 2 minha libido acabou, agora faz 6 meses ele esta desempregado , piorou muito.Nao sei ficar em um relacionamento sem emoçao.Mas tbem nao imagino minha vida sem ele.

    ResponderExcluir
  5. A um bom tempo atrás meu esposo fez uma brincadeira sem graça comigo ele disse que uma certa mulher daqui do bairro era a mulher mais bonita ele disse isso que é mulher não o que eu tenho em casa,eu conversei com ele varias vezes e ele disse que foi brincadeira mais devido esta mulher ser de índole baixa eu me senti agredida JA FAZ MUITO TEMPO E EU AINDA HJ EM BRIGAS TENHO MAGOA E FALO E ELE RESPONDE FOI UMA BRINCADEIRA SEM GRAÇA MAIS BRINCADEIRA EU ME SINTO MAGOADA ATE HJ O QUE FAZER

    ResponderExcluir
  6. Concordo com o Sr Luiz, e acrescento que o amor só se fará forte com doação diária de ambos. Mais delicadezas, afeto, compreensão,companheirismo e menos competição.

    ResponderExcluir