sábado, 13 de outubro de 2012

Amor platônico







 A.-Bem, sou uma pessoa bem resolvida, ao menos é o que imagino. Porém há um ano e três meses o homem que escolhi para passar o resto da minha vida e ter filhos faleceu. Não consigo dar passo algum em relação a outras pessoas. Me interessei por um rapaz há nove meses, tentei uma aproximação, o que tornou tudo mais difícil. Sou voluntária, ele trabalha coordenando esse setor que trabalho. O fato de ter de prestar contas a ele dificultou tudo. Creio que ele viu essa aproximação como algo antiético e passou a me ignorar quando percebeu minha estratégia de aproximação. Creio que seja solteiro, mas como conheço apenas uma amiga em comum, tenho receio de pedir a ela que nos apresente.Consegui o número do celular dele, por meios não muitos legais, creio que ele ficará bem aborrecido se souber. Enviei uns torpedos sem respostas. Enfim apenas especulações...Help me Please !!!

Resposta:
Acontece muitas vezes de pessoas se apaixonarem por outras que nem as enxergam na sua frente.Muito desgastante e sempre dolorosa essa situação. Ele não parece estar interessado em você ou, talvez, em nenhum relacionamento. Uma hora você vai descobrir que está vivendo uma ilusão, que não existia ninguém mais envolvido a não ser você mesma e seu desejo de amar e ser amada.Amor- apesar de funcionar como- não deve ser ansiosamente buscado como um energético para nosso bem estar, para nossa autoestima, para colorir nossa vida. Não se trata de dizer que você é fraca por entrar nesta roubada, pois ninguém pode se achar tão forte para evitar que isso aconteça.


Espere para investir numa relação real e correspondida. Não se precipite procurando preencher um vazio com Nada. Nada além de ilusões e devaneios.Cuide-se no sentido de ir se despindo pouco a pouco de todos os resíduos da perda do seu amado. Sem pressa. Nossa mente e nosso coração nos traem e não nos avisam de certas manobras perigosas que usamos para fugir da solidão. Por isso se apaixonar é tão fácil. E por isso também, na maioria das vezes, desapaixonar é tão doloroso. Abraço
Aglair Grein-Psicanalista

4 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lembrei do filme "Ele não está tão à fim de você", que explicita bem estas situações que, na busca de um amor, de preencher nossos vazios, nos fazem ver "elefantes" onde não existe nada mais que uma libélula. Aglair, vc é perfeita sempre.

      Excluir
  2. A resposta da especialista é brilhante! Muitas vezes achamos que o outro é tímido, ou não viu a mensagem, ou, ou, ou... Não se engane! Queremos tanto um amor que inventamos maneiras de extravasar isso. Um grande exercício e muito difícil de se realizar nesta vida é ter paciência .Luciana

    ResponderExcluir
  3. A nossa carência nos faz agir de um modo que quando percebemos vimos que era tudo ilusão de um coração carente..

    ResponderExcluir