quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

O trauma como herança



Pais com dificuldades psicológicas decorrentes de traumas não tratados prejudicam o desenvolvimento dos filhos, netos e bisnetos. Algumas pessoas carregam sequelas da infância e adolescência e só conseguem superar o trauma na idade adulta, interrompendo o ciclo do sofrimento aos descendentes.

Os traumas psicológicos podem acometer qualquer pessoa, de crianças a adultos, podendo gerar prejuízos severos a qualidade de vida quando não identificados e tratados a tempo. Quando não há tratamento, os traumas atingem não só quem sofreu o evento doloroso, mas também os mais próximos.

Pais com transtornos psicológicos decorrentes de traumas podem replicar o trauma na relação com seus filhos estendendo os prejuízos por várias gerações. Os chamados “pais tóxicos”, que agridem física e psicologicamente, tal como foram agredidos anteriormente, causam sequelas que podem se arrastar por toda a vida de seus filhos, netos e bisnetos.

Mesmo quando os pais alternam atitudes carinhosas e agressivas, o reflexo no desenvolvimento dos filhos ainda é negativo e as consequências dos comportamentos de duplo vínculo são agressividade, dificuldade de aprendizado, rebeldia, timidez e um enorme sentimento de culpa . Por isso, as sequelas das humilhações e dos maus-tratos precisam ser tratadas para que a criança, o adolescente ou mesmo esse adulto possam ter uma vida mais saudável.

Muitas crianças crescem em ambientes desestruturados e acabam se afastando dos pais para poderem “sobreviver”.Como exemplo, uma paciente trouxe a psicoterapia o tema culpa por ter sobrevivido e ao longo do processo conseguiu superar o trauma dos maus tratos de sua mãe interrompendo a herança de sofrimento que migrava de geração para geração. Uma de suas irmãs cometeu suicídio e outra irmã, também sem buscar tratamento especializado, repetiu o mesmo padrão de maus tratos com os sobrinhos, vítimas dos mesmos traumas da mãe e da avó.

Experiências traumáticas podem criar oportunidades de crescimento pessoal através da introdução de novos valores e perspectivas para a vida. As psicoterapias atuais enfatizam as estratégias de superação utilizadas naturalmente por indivíduos resilientes (com a capacidade de atravessar situações traumáticas e voltar a qualidade de vida satisfatória).

Para quem chegou à vida adulta traumatizado, a psicoterapia é um caminho para libertação do sofrimento e da continuidade transgeracional do mesmo.


Extraido e adaptado da Web

4 comentários:

  1. Nossa, como isso é verdadeiro!... E, infelizmente, está por aí bem abaixo dos nossos narizes, dentro das famílias tão doentes, em nossa sociedade; gerando um quadro cada vez maior de violência, agressividade e sofrimentos humanos, que seriam evitados e desnecessários, caso houvesse a devida conscientização e uma situação econômica que favorecesse os tratamentos adequados a todos os que sofrem por aí...

    Helô Müller

    ResponderExcluir
  2. Como isto é verdadeiro e como se vê gerações sofredoras por aí, por não procurarem ou não conseguirem resolver os traumas geracionais do passado e que se transmitem às gerações futuras. Eu já desconfiava que havia esta "transmissão", e agora, o texto técnico me transmite certeza.

    ResponderExcluir
  3. Acompanho suas postagens no Facebook, que são geralmente de uma incrível precisão. Concordo com essa especificamente, de certa maneira vivi isso em minha infância, um pai que oscilava bastante o temperamento diante de um tumor cerebral e uma mãe que silenciava. Algumas experiências traumáticas me acompanham, talvez até de maneira inconsciente. Hoje, além de psicóloga, faço a minha terapia pessoal, pois sei da necessidade de deixar alguns fantasmas para trás. Obrigada Aglair, por colaborar com nossas reflexões, ainda que à distância.

    ResponderExcluir
  4. Só queria saber por que algumas pessoas foram agredidas igualmente , mas algumas aparentam não ter nenhum vestígio de trauma e outras não esquecem ?

    ResponderExcluir